Deise Soares | Decoração wabi-sabi: o que é?

Decoração

Decoração wabi-sabi: o que é?

Com as suas origens enraizadas numa antiga arte japonesa, wabi-sabi é uma nova forma de viver e de decorar, sem stress e sem preocupação. Mudando estilos de vida desde o século XV, wabi-sabi é a arte da beleza imperfeita, ou seja, dá-se valor à autenticidade, natureza e simplicidade, em detrimento da ostentação, alta tecnologia e design contemporâneo. Há quem diga que o wabi-sabi é o novo feng shui.

 O wabi-sabi defende que o nosso lar deve ser, acima de tudo, um santuário e não um local apetrechado de objetos, distrações e ruídos visuais. Os “wabibitos” (quem segue este estilo de vida) colocam de lado a procura constante pela perfeição e concentram-se na beleza das coisas tal e qual elas são; no conforto e no bem-estar que essa naturalidade transmite. No que toca ao wabi-sabi, menos é definitivamente mais.
 “Wabi” significa “coisas simples e frescas” e “Sabi” significa “coisas cuja beleza foi adquirida com a idade”. O conceito subjacente a esta arte secular é simples: encontrar beleza na imperfeição, ou seja, o wabi-sabi valoriza mais a beleza singular, aquela que é naturalmente bela; do que aquela que é obviamente bela, mas que foi artificialmente construída, por exemplo. Viver de forma modesta e aprender a sentir-se satisfeito com aquilo que tem depois de eliminado o supérfluo, é a filosofia do wabi-sabi. Aplicado à decoração, não difere muito deste conceito.

4

 

Decoração wabi-sabi em 10 Dicas

  1. Ambientes minimalistas, simples, orgânicos e modestos.
  2. Requerem-se espaços pouco cheios onde os artigos dominantes são exclusivamente os essenciais. Essa escolha é feita baseada na sua utilidade, beleza ou sentimentalismo (ou os três).
  3. A palete de cores da decoração wabi-sabi está entre a cor branca e nos tons terra.
  4. Privilegia-se o uso de materiais naturais (madeira envelhecida, pedra esfarelada, barro, lã, algodão cru, linho, caxemira, papel de arroz…) em vez de materiais artificiais e/ou luxuosos.
  5. A Mãe Natureza deve ser uma companhia constante e deve ser trazida do exterior para o interior sempre que possível: plantas e flores, de preferência do campo, e até ramos de árvore são bem-vindos. Neste contexto, a única “exigência” é que a flora utilizada seja da estação do ano em vigor.
  6. Organizar a casa de cima a baixo, deixando fora, reciclando ou doando o que está a mais; encontrar um lugar específico para cada coisa para manter a organização.
  7. Privilegiar a luz natural e a de velas.
  8. Mobiliário não têm necessariamente de combinar entre si.
  9. Expor peças com alma, elevado simbolismo ou sentimentalismo: fotografias a preto e branco do casamento dos avós, lençóis e toalhas bordados pela sua mãe, uma escultura amadora, um conjunto de pedras apanhadas à beira-mar…
  10. Criar um espaço pessoal que serve de refúgio e/ou de meditação.
3
Crédito Imagem:pinterest